0
1
0
1
1
0
1
0

Assinatura Digital, Autenticação e Criptografia. > blog > Afinal, o que é Open Banking?

Afinal, o que é Open Banking?

Afinal, o que é Open Banking?

O Open Banking está chegando e ele vai mudar a maneira como lidamos com dinheiro em nosso dia a dia. De forma semelhante ao que aconteceu com o Internet Banking, a nossa forma de realizar operações bancárias será transformada.

E essa mudança, que começou de forma invisível, está tomando força e vem fazendo parte das diversas inovações tecnológicas que acompanham a transformação digital atual.

Mas afinal no que consiste o Open Banking e quais são as transformações associadas a esse novo conceito? Nosso objetivo é esclarecer essa dúvida, que foi um dos temas debatidos no CIAB 2018,  e apresentar toda a tecnologia que está por trás deste novo paradigma.

O conceito do Open Banking

Com o potencial de causar uma ruptura em vários paradigmas ligados à forma como as instituições financeiras operam, o Open Banking muda conceitos e torna mais fácil a concorrência entre os bancos e a criação de novos produtos e serviços, beneficiando a todos os clientes.

O Conceito de Open Banking consiste em permitir aos bancos compartilhar dados de clientes com empresas ou aplicativos de terceiros de forma segura e em tempo real, através do uso de plataformas abertas de interface de aplicativos, conhecida também como APIs.

O objetivo desse compartilhamento basicamente é tornar esses dados acessíveis a empresas de desenvolvimento permitindo que elas possam criar uma melhor experiência para o cliente em relação às transações bancárias.

O mais importante no que diz respeito ao compartilhamento de informações dos clientes tem relação aos dados contidos nas transações. Os bancos detêm o registro oficial de tudo o que gastamos e emprestamos.

Desde contas de luz a pagamentos de hipotecas, até gastos semanais em viagens de trem e café mas, na maior parte das vezes, essa informação não é aproveitada em benefício dos clientes.

Ao possibilitar a transmissão dessa rica informação a terceiros, o Open Banking permite a criação de novas soluções. Não é um aplicativo ou um serviço por si só. É uma nova maneira de como usamos o nosso dinheiro.

Com desenvolvimento de soluções de acordo com o conceito do Open Banking é possível tornar a visão dos clientes sobre suas finanças mais precisa e eles podem comparar, analisar e gerenciar contas com mais eficiência ou tomar decisões financeiras mais sólidas.

Como funciona o Open Banking

A primeira dúvida que surge com o uso do Open Banking é quem faz o compartilhamento das informações bancárias? O titular da conta. É ele que deve dar sua aprovação explícita a qualquer tipo de troca de dados.

Na verdade é dado aos consumidores controle sobre seus dados. Essas informações incluem alguns registros simples até detalhes exatos de determinados produtos bancários.

Além disso, o Open Banking depende dos bancos que devem compartilhar suas APIs com terceiros. Em uma visão mais ampla, as APIs são o que acontece no back-end de um software para que a conexão com outras soluções.

Por isso, imagine um tubo conectando dois componentes de software e, por meio dele, o tráfego de dados bancários, de forma bem simplificada é isso que basicamente acontece.

Assim, em um ambiente bancário aberto, as APIs dos bancos estão disponíveis para desenvolvedores externos para o desenvolvimento de outros aplicativos, com o objetivo de que o cliente tenha tantos recursos quanto possível para visualizar ou entender suas finanças.

E como fica a questão da segurança?

Os especialistas dizem que o compartilhamento de informações de contas por meio de APIs é muito mais seguro do que o antigo método de inserir informações de contas manualmente, e portanto com menos riscos a ataques virtuais e roubo de dados.

De um ponto de vista técnico, o Open Banking é considerado tão seguro quanto o Internet Banking.

As APIs são confiáveis ​​e a lei exige o uso de uma autenticação forte do cliente e um procedimento que permite que o provedor de serviços de pagamento verifique a identidade do usuário e do serviço.

Vale destacar ainda que qualquer pessoa que use um serviço de Open Banking não precisará compartilhar seu login bancário ou sua senha com ninguém além do banco.

Em resumo, não compartilhamos o nosso acesso ao banco e sim os dados contidos nas transações. Portanto é muito importante que as instituições envolvidas priorizem a segurança da informação, assim como proteger os dados para que não vazem, e se vazarem não ter valor algum para quem roubar os dados.

O que isso significa para nós consumidores?

O objetivo final do Open Banking é a criação de um universo de aplicativos que usam as informações da sua conta bancária para oferecer uma gama tão ampla de produtos quanto possível, para atender às necessidades do cliente.

Os benefícios dessa transformação incluem a transferência mais fácil de fundos e a comparação de ofertas de produtos, em custos mais baixos, melhor uso da tecnologia e melhor atendimento ao cliente.

Isso quer dizer que o Open banking tem o potencial para transformar a relação dos consumidores com produtos financeiros, permitindo por exemplo:

  • Melhorar a gestão do dinheiro

No momento, se você tem contas com dois bancos diferentes, então você tem que olhar para elas separadamente. Isso porque os sistemas dos bancos são totalmente incompatíveis.

O Open Banking permitirá que você os veja ao mesmo tempo, o que deve facilitar o gerenciamento do dinheiro. É possível por exemplo, painéis que mostram a entrada e saída de dinheiro entre as contas.

  • Vai facilitar a gestão de investimentos e empréstimos

Quando você toma um empréstimo ou vai realizar algum investimento, você precisa comprovar que tem condições de pagá-lo e o limite que pode ser utilizado.

O Open Banking permitirá que você forneça todas as informações necessárias online, incluindo, por exemplo, seu histórico de gastos. Além disso permitirá também, fornecer informações sobre investimentos nos últimos anos.

  • Simplifica a realização de pagamentos

O atual sistema de pagamento é muito complicado. Atualmente, ao realizar uma compra o varejista entra em contato com um adquirente. Que por sua vez estabelece a comunicação com a administradora do cartão para receber o pagamento da sua conta.

Ao ter acesso aos dados dos bancos, o Open Banking permite pagar diretamente de uma conta bancária. De certo, pagar diretamente deve ser mais rápida e barata. Pois, atualmente vários intermediários cobram por cada serviço. O banco autentica a compra sem envolver outras organizações.

Além de poder ver todas as suas contas e investimentos em um só lugar. Aind amais, o Open Banking  procura agregar valor aos clientes com uma variedade de recursos inteligentes em diferentes camadas.

Também inclui análise de gastos e a gestão do saldo, mostra dinamicamente quanto um usuário deixou em suas contas correntes. Inclusive após a realização de pagamentos, enfim, é possível oferecer aos clientes maior controle. Assim o Open Banking irá trazer facilidade para nossas vidas por meio de aplicativos.

É o fim da desagregação e a intermediação dos serviços bancários, tornando-se mais desmembrado, mais modular.

Portanto, estamos passando de uma era de serviços bancários físicos para um banco conectado à serviços digitais. E o Open Banking começa a reformular o setor bancário e nosso papel nele. Dessa forma, é muito mais do que fornecer produtos e serviços, é tornar uma plataforma independente e conectada. Inclusive permitindo aos clientes navegarem por aí, tomando decisões financeiras com mais liberdade e segurança.

Por fim, mais um vez temos a transformação digital definindo um novo paradigma em nossas vidas. Já parou para pensar o quanto estamos sendo transformados com o impacto de tanta tecnologia?

Assine nossa Newsletter e fique por dentro das novidades e tecnologias E-VAL. Continue acompanhando nossos conteúdos e também em nosso perfil do Linkedin.