Proteção de Dados

Apenas 41% das companhias brasileiras têm políticas de segurança contra ataques cibernéticos bem estabelecidas

Embora os ataques cibernéticos e ameaças sejam uma luta contínua, eles podem ser evitados estando ciente dos vários tipos de protocolos, explorações, ferramentas e recursos usados ​​por pessoas mal intencionadas. Além disso, saber onde e como esperar os ataques garante que você esteja criando medidas preventivas para proteger seus sistemas.

Ataques cibernéticos, ameaças e vandalismo são um problema perigoso e crescente para as empresas. Quase todas as empresas modernas exigem uma rede de computadores, servidores, impressoras, switches, pontos de acesso e roteadores para operar. 

O objetivo primordial de qualquer política de segurança de TI é cumprir todas as legislações vigentes e outros requisitos de segurança visando proteger a integridade dos seus membros e dos dados corporativos que residem na infraestrutura de tecnologia da empresa.

Mas esse desafio ainda é para poucos. É o que mostra o estudo realizado pelo Núcleo de Informação e Coordenação do Ponto BR (NIC.br), onde 41% das companhias brasileiras têm políticas de segurança contra ataques cibernéticos que são bem estabelecidas.

A implementação dessas políticas é considerada uma prática recomendada ao desenvolver e manter um programa de segurança cibernética. À medida que mais empresas desenvolvem programas digitais, é necessário ter políticas de segurança eficazes para combater efetivamente os ataques cibernéticos. 

O que é uma política de segurança e, por que ela é importante no combate aos ataques cibernéticos?

Basicamente, uma política de segurança é um conjunto de práticas e procedimentos padronizados projetados para proteger a rede de uma empresa contra ameaças. 

Normalmente, a primeira parte da política de segurança cibernética concentra-se nas expectativas, funções e responsabilidades gerais de segurança na organização. A segunda parte pode incluir seções para várias áreas de segurança cibernética, como diretrizes para software antivírus ou o uso de aplicativos em nuvem.

Por padrão, o CISO lidera o desenvolvimento e as atualizações de uma política de segurança. No entanto, os CISOs também devem trabalhar com executivos de outros departamentos para criar políticas atualizadas de forma colaborativa. 

As equipes devem começar com uma avaliação de risco de segurança cibernética para identificar as vulnerabilidades da organização e as áreas de preocupação que são suscetíveis contra ataques cibernéticos e violação de dados. 

É importante entender a tolerância da organização a diversos riscos de segurança, destacando as preocupações classificadas como de baixo risco e aquelas que ameaçam a sobrevivência da organização. A equipe deve então considerar os requisitos regulamentares que deve cumprir para manter a conformidade.

Os CISOs podem então determinar que nível de segurança deve ser implementado para as lacunas de segurança e áreas de preocupação identificadas. Lembre-se de que os CISOs devem combinar o nível de proteção exigido com a tolerância de risco da organização. 

Ao fazer isso, a organização garante que as áreas com a menor tolerância ao risco obtenham o mais alto nível de segurança.

Quais são os problemas de segurança da informação que as políticas de segurança cibernética devem abordar contra ataques cibernéticos?

Se sua organização não possui uma política de segurança da informação para alguma área de preocupação, a segurança nessa área provavelmente está em risco: desorganizada, fragmentada e ineficaz. 

Os problemas que as políticas de segurança devem abordar diferem entre as organizações, mas alguns dos mais importantes incluem:

Segurança física

Como a segurança é tratada em data centers, salas de servidores e terminais nos escritórios da empresa e em outros lugares? As políticas de segurança física atendem a uma ampla gama de objetivos, incluindo gerenciamento de acesso, monitoramento e identificação de áreas seguras.

Retenção de dados

Quais dados a empresa coleta e processa? Onde, como e por quanto tempo deve ser armazenado? As políticas de retenção de dados afetam várias áreas, incluindo segurança, privacidade e conformidade.

Criptografia de dados

Como a organização lida com o armazenamento seguro e a transmissão de dados? Além dos objetivos de criptografia, as políticas de criptografia de dados também podem discutir objetivos e regras em torno do gerenciamento e autenticação de chaves.

Controle de acesso

Quem pode acessar dados confidenciais e quais sistemas devem ser implementados para garantir que os dados confidenciais sejam identificados e protegidos contra acesso não autorizado?

Treinamento de segurança

A segurança depende tanto das pessoas quanto da tecnologia e dos sistemas. O erro humano contribui para muitas violações de segurança que poderiam ter sido evitadas se os funcionários e executivos recebessem treinamento suficiente. 

Gerenciamento de risco

As políticas de gerenciamento de risco de segurança da informação se concentram em metodologias de avaliação de risco, na tolerância da organização aos riscos em vários sistemas e em quem é responsável pelo gerenciamento de ameaças. 

Continuidade de negócios

Como sua organização reagirá durante um incidente de segurança que ameace processos e ativos críticos de negócios? 

A segurança e a continuidade dos negócios interagem de várias maneiras: as ameaças à segurança podem rapidamente se tornar riscos à continuidade dos negócios, os processos e a infraestrutura que as empresas usam para manter o curso do negócio devem ser projetados tendo a proteção em mente. 

Abordamos apenas alguns pontos importantes das políticas de segurança relevantes para empresas em muitos setores diferentes. Mas, cada organização difere, e o conteúdo das políticas devem ser ajustados às circunstâncias exclusivas de seu negócio, devendo  evoluir conforme as circunstâncias mudam.

A E-VAL e a THALES podem te ajudar a desenvolver as políticas de segurança de sua empresa, cumprindo com os principais requisitos de proteção e conformidade

As empresas devem priorizar os riscos de dados, criando uma política de classificação com base na sensibilidade dos dados. 

Devem ser desenvolvidas e implementadas políticas que determinem quais tipos de informações são confidenciais e quais métodos, como criptografia, devem ser usados ​​para proteger essas informações. 

Além disso, as empresas devem monitorar a transmissão de informações para garantir que as políticas sejam cumpridas e eficazes.

Felizmente, novas soluções de tecnologia podem ajudar as empresas a obter visibilidade total de seus dados confidenciais e fortalecer sua conformidade com requisitos de proteção, a exemplo da Lei Geral de Proteção de Dados(LGPD)

A plataforma de segurança de dados CipherTrust permite que as organizações descubram suas informações confidenciais, avaliem o risco associado a esses dados e, em seguida, definam e apliquem políticas de segurança. 

Além de facilitar a conformidade com a lei de proteção de dados a qualquer momento, sua empresa pode economizar dinheiro e, ao mesmo tempo, conquistar a confiança de seus clientes e parceiros.

Sua empresa atingindo a conformidade com ajuda da E-VAL 

Uma forte política de segurança da informação é a cola que une todos os controles de segurança e requisitos de conformidade e é o documento que descreve a estratégia de proteção e privacidade em toda a organização. 

Ao mesmo tempo, pode ser uma ótima ferramenta de responsabilidade quando se trata de confiança ao consumidor. Para ser eficaz, uma política de segurança deve ser aceita por toda a empresa para gerenciar e atualizar com eficácia os controles de segurança necessários em um mundo de risco cibernético em constante mudança. 

Se for bem gerenciado e seguido de acordo, o gerenciamento de políticas é a base para alcançar a conformidade com a LGPD ou qualquer outra regulamentação de privacidade futura.

Ao aplicar estruturas como Lei Geral de Proteção de Dados, maior controle é devolvido às pessoas / consumidores e esse controle extra ajuda muito a aumentar o nível de confiança que as pessoas sentem em relação às empresas, o que, por sua vez, pode aumentar receitas e lucros. 

Os requisitos da LGPD são muito mais do que uma lista de verificação e se sua organização processa os dados pessoais dos titulares dos dados aqui no Brasil, você deve dedicar algum tempo para explorar os controles de segurança que possui para dar suporte aos requisitos da lei de proteção e privacidade e garantir que as informações pessoais sejam protegidas e processadas de forma adequada.

As organizações devem ser transparentes com seus clientes sobre suas bases legais para a coleta de dados e devem oferecer-lhes controle sobre se desejam ou não compartilhar seus dados com outras pessoas. 

Em seguida, as organizações devem seguir adiante e garantir que eles usem apenas os dados que coletam para os fins inicialmente descritos, sempre dentro dos limites do consentimento fornecido por seus clientes, e se certificar de que respeitam todos os seus direitos concedidos a eles nos termos da nova legislação.

Para saber mais sobre a Plataforma de segurança de dados CipherTrust entre em contato agora mesmo com os especialistas da E-VAL.

Sobre a E-VAL Tecnologia

A E-VAL Tecnologia atua há mais de 16 anos oferecendo soluções de segurança da informação para o mercado, pioneira em iniciativas no uso da certificação digital no Brasil, tais como, SPB, COMPE, Autenticação, Assinatura digital de contratos, Gerenciamento de Chaves e Proteção de dados e armazenamento de chaves criptográficas para os segmentos de instituições financeiras, educação e indústria.

Siga-nos nas redes sociais:
error

Gostou do blog? Compartilhe já :D