Proteção de Dados

Criptografia para aplicativos de comunicação: saiba mais

Se você tem preocupação com segurança e privacidade de dados, talvez já tenha ouvido falar sobre criptografia para aplicativos de comunicação, mesmo que de forma superficial. Além disso, é possível que o seu interesse no assunto tenha surgido em decorrência de alguma notícia de vazamento ou roubo.

Essa é uma realidade que tem crescido nos últimos anos. Já que estamos cada vez mais preocupados com nossas informações e a tecnologia impacta diretamente em nossas rotinas.

Quem imaginou, por exemplo, que o telefone celular se tornaria tão importante para nós? Porém, não por conta de sua funcionalidade original, realizar e receber chamadas, já que os aplicativos de mensagens praticamente condenaram as ligações telefônicas.

Você tem ideia de quantas mensagens foram recebidas e enviadas nas últimas horas por meio das principais ferramentas desse tipo? E quantas substituíram uma ligação?

Milhares de mensagens todos os dias

Os brasileiros enviam milhares de mensagens todos os dias para amigos, familiares, colegas de trabalho, entre outras pessoas. No mundo são enviadas em média 55 bilhões de mensagens todos os dias pelo whatsapp.

Inclusive, serviços como o do Whatsapp se tornaram estratégicos para os negócios. Considerados ferramentas de vendas, os aplicativos de troca de mensagens ajudam muitos empreendedores a movimentar a economia.

Por conta dessa importância, queremos que as mensagens permaneçam restritas somente aos interessados. Muitas vezes, são conversas reservadas que tratam de assuntos pessoais e estratégicos.

Dada a frequência com que todos usamos essas ferramentas, é cada vez mais importante proteger a privacidade e as informações pessoais. Uma maneira de fazer isso é usando a criptografia para aplicativos de comunicação.

Definição de criptografia

Antes de verificar quem adota a criptografia para aplicativos de comunicação de ponta a ponta, vale lembrar o conceito básico por trás de uma troca de mensagens segura.

Sistemas de segurança para comunicação existem há séculos. Basicamente, a ideia é levar uma mensagem ou informação para um destino sem que qualquer pessoa não autorizada possa lê-la.

Na prática, com a ajuda da internet, enviamos muitos dados particulares para outros computadores ou servidores todos os dias.

A criptografia pega seus dados e os embaralha, tornando impossível para qualquer pessoa que os intercepte, ler ou entender.

Quando chegam ao destinatário, os dados são descriptografados de volta à sua forma original para que possam ser lidos e compreendidos. Os dados não criptografados são chamados de textos sem formatação e os criptografados se chamam textos cifrados.

A forma como um dispositivo pega os dados e os criptografa é chamada de algoritmo de criptografia. Ele é usado com uma chave criptográfica, de modo que somente a pessoa com a chave certa pode descriptografar.

Por exemplo, se quiséssemos criptografar a mensagem “bom dia!” e enviar para outra pessoa, seria preciso usar um algoritmo de criptografia, que a criptografaria para algo como “SZKKB YRIGSWZB”. Assim, alguém usando a mesma tecnologia poderia abrir e ler.

De ponta a ponta

A criptografia de ponta a ponta é assimétrica. Assim, ela protege os dados assegurando que apenas duas pessoas possam lê-los: o remetente e o destinatário.

Isso significa que ninguém mais pode ler os dados, como hackers, governos, empresas ou servidores. Portanto, quando um usuário envia uma mensagem para outro, mesmo que ela tenha sido interceptada, não poderá ser lida.

Se a mensagem passar pelo servidor do WhatsApp, por exemplo, ele não poderá ler. Se o serviço quisesse fornecer esses dados a terceiros, eles não seriam capazes de fazê-lo. É isso que acontece quando a criptografia para aplicativos de comunicação é de ponta a ponta. Para entender melhor como é feita a criptografia das mensagens trocadas pelo WhatsApp, assim como os algoritmos utilizados, clique aqui.

A criptografia para aplicativos de comunicação é um padrão

O uso de criptografia em aplicativos de comunicação se tornou um padrão nos últimos anos. No entanto, ela ainda não é adotada por todos os fabricantes.

Na verdade, a adoção da criptografia não é obrigatória em todas as situações, mas em algumas você definitivamente a utiliza, como quando você compra itens on-line e insere os dados do seu cartão.

Em momentos como esse, a criptografia acontece sem você saber. No dia a dia é possível optar pela criptografia para aplicativos de comunicação apenas para ter a tranquilidade de saber que absolutamente ninguém mais pode acessar suas mensagens ou chamadas.

A criptografia de ponta a ponta significa que pessoas sem autorização não vão conseguir acesso aos seus dados e sua privacidade está preservada. 

Quais aplicativos usar

Existem tantas opções no mercado que é difícil afirmar qual é a melhor. Em vez disso, listaremos as mais populares e que utilizam a criptografia para aplicativos de comunicação por padrão.

WhatsApp

O WhatsApp já possui mais de 1,5 bilhão de usuários e integra o protocolo de criptografia em suas conversas. Isso significa que as mensagens do WhatsApp são, por padrão, criptografadas de ponta a ponta.

Ele tem bate-papo, chamadas em grupo, compartilhamento de arquivos, realiza arquivamento, compartilhamento de local, transmissões e muito mais. A popularidade do aplicativo também funciona a seu favor, já que você provavelmente não precisará convencer outras pessoas a baixá-lo.

O WhatsApp é livre para usar e de anúncios. No entanto, é de propriedade do Facebook, que admite abertamente a coleta de muitos dados sobre você para fins de marketing. 

Facebook Messenger

Segundo uma reportagem da BBC, O Facebook Messenger também usa criptografia, mas um pouco diferente da criptografia utilizada no Whatsapp, no qual a mensagem é cifrada do remetente para o servidor, que abre a mensagem e cifra ela até o remetente. de ponta a ponta, o mesmo protocolo de sinal usado pelo WhatsApp. Mas já a planos para implementar no Facebook Messenger a mesma criptografia de ponta a ponta que é utilizada no Whatsapp. Por fim, isso significa que suas mensagens não poderão ser visualizadas pela equipe da rede social. 

O Facebook Messenger também usa criptografia, mas um pouco diferente da criptografia utilizada no Whatsapp, no qual a mensagem é cifrada do remetente para o servidor, que abre a mensagem e cifra ela até o remetente. de ponta a ponta, o mesmo protocolo de sinal usado pelo WhatsApp. Mas já a planos para implementar no Facebook Messenger a mesma criptografia de ponta a ponta que é utilizada no Whatsapp. Isso significa que suas mensagens não poderão ser visualizadas pela equipe da rede social. 

O Facebook Messenger funciona como a maioria dos outros aplicativos, com bate-papo e chamadas em grupo, compartilhamento de arquivos, compartilhamento de local e chamadas de vídeo. Também é muito fácil de usar, com adesivos, GIFs e até jogos.

No entanto, o aplicativo é de propriedade do Facebook, o que significa que ainda contribui para os dados coletados sobre você e outros bilhões de usuários.

Telegram

O Telegram foi um dos primeiros aplicativos do mercado. A criptografia de ponta a ponta não está ativa por padrão: você precisa ter certeza de que o modo secreto está ativo para que ninguém mais possa acessar suas mensagens.

O aplicativo tem recursos como bate-papo em grupo, envio de arquivos e fotos — também criptografados apenas no modo secreto —, mensagens desaparecidas, funcionalidade de arquivamento e chamadas de voz e vídeo.

Quando o modo secreto está ativo, as mensagens também podem se autodestruir em todos os dispositivos de um bate-papo e existe a opção de autodestruir sua conta dentro de um tempo definido.

O Telegram é livre para usar e de anúncios. Todos os dados são criptografados e armazenados nos servidores, exceto pelas mensagens do chat secreto.

iMessage e FaceTime

A Apple introduziu a criptografia de ponta a ponta em todas as suas mensagens no iMessage, o aplicativo padrão em dispositivos iOS, e todas as chamadas e vídeos no FaceTime.

O iMessage e o FaceTime estão disponíveis em dispositivos móveis iOS, bem como em computadores Mac.

Os dois aplicativos abrangem uma série de funcionalidades básicas, como mensagens, localização ou compartilhamento de arquivos e chamadas de voz e vídeo. As mensagens do iMessage são copiadas no iCloud, mas isso pode ser desativado nas suas configurações.

Certifique-se de ler as políticas de privacidade de dados de todos os aplicativos que você utilizar. Verifique se você está confortável com elas antes de confiar na ferramenta escolhida.

A E-VAL Tecnologia atua há mais de 14 anos oferecendo soluções de segurança da informação para o mercado, pioneira em iniciativas no uso da certificação digital no Brasil, tais como, SPB, COMPE, Autenticação, Assinatura digital de contratos, Gerenciamento de Chaves e Proteção de dados e armazenamento de chaves criptográficas para os seguimentos de bancos, educação e indústria.

Fale conosco, os especialistas da E-VAL Tecnologia terão o maior prazer em atendê-los, contribuindo para o desenvolvimento dos seus projetos e a melhoria contínua da segurança da informação para a sua instituição.

Siga-nos nas redes sociais:
error

Gostou do blog? Compartilhe já :D