Proteção de Dados

Diferença entre tipos de criptografia para proteção de dados

As empresas podem reduzir a probabilidade de violação de dados e, assim, reduzir o risco de multas no futuro pela Lei Geral de Proteção de Dados (LGPD), se optarem por usar criptografia para proteção de dados. 

O tratamento de dados pessoais está naturalmente associado a um certo grau de risco. Especialmente hoje em dia, onde os ataques cibernéticos são quase inevitáveis ​​para empresas. Portanto, a criptografia para proteção de dados desempenha um papel cada vez maior na segurança de TI para grande parte das empresas.

Em geral, a criptografia se refere ao procedimento que converte texto não criptografado, conhecido também como texto em claro, em uma informação que é ilegível, de forma de interpretação usando uma chave, em que as informações de saída só se tornam legíveis novamente usando a chave correta. Isso minimiza o risco de um incidente durante o processamento de dados, pois o conteúdo criptografado é basicamente ilegível para terceiros que não possuem a chave correta. 

A criptografia é a melhor maneira de proteger os dados durante a transferência e é uma forma de proteger os dados pessoais armazenados. Também reduz o risco de abuso dentro de uma empresa, pois o acesso é limitado apenas a pessoas autorizadas com a chave certa.

Criptografia para proteção de dados e a LGPD: o que você deve saber

Na era atual dos computadores, a criptografia é frequentemente associada ao processo em que um texto simples comum é convertido em texto cifrado, que é o texto feito de forma que o destinatário pretendido do texto possa apenas decodificá-lo e, portanto, esse processo é conhecido como criptografia. O processo de conversão de texto cifrado em texto simples é conhecido como descriptografia.

Os principais usos de criptografia são as seguintes:

  • Confidencialidade: as informações só podem ser acessadas pela pessoa a quem se destinam e nenhuma outra pessoa, exceto ela, pode acessá-la;
  • Assinatura Digital: no qual as informações são assinadas para que seja possível identificar o remetente da informação, com integridade e não repúdio.
  • Integridade: as informações não podem ser modificadas no armazenamento ou na transição entre o remetente e o destinatário pretendido sem que qualquer adição à informação seja detectada;
  • Autenticação: as identidades do remetente e do destinatário são confirmadas. Bem como o destino / origem das informações é confirmado.

Tipos de criptografia para proteção de dados:

Em geral, existem três tipos de criptografia para proteção de dados:

  • Criptografia de chave simétrica

É um sistema de criptografia onde o remetente e o receptor da mensagem usam uma única chave comum para criptografar e descriptografar as mensagens. Os sistemas de chave simétrica são mais rápidos e simples, mas o problema é que o remetente e o destinatário precisam de alguma forma trocar a chave de maneira segura. O sistema de criptografia de chave simétrica mais popular é o Data Encryption System (DES) e o Advanced Encryption Standard (AES);

  • Funções Hash

Não há uso de nenhuma chave neste algoritmo. Um valor hash com comprimento fixo é calculado de acordo com o texto simples, o que torna impossível que o conteúdo do texto simples seja recuperado. Muitos sistemas operacionais usam funções hash para criptografar senhas;

  • Criptografia de chave assimétrica

Neste sistema, um par de chaves é usado para criptografar e descriptografar informações. Uma chave pública é usada para criptografar e uma chave privada é usada para descriptografar. A chave pública e a chave privada são diferentes. Mesmo que a chave pública seja conhecida por todos, o receptor pretendido só pode decodificá-la porque só ele conhece a chave privada.

Para manter o sigilo no armazenamento e trânsito de dados

A criptografia permite armazenar os dados criptografados, permitindo que os usuários fiquem longe dos ataques realizados por hackers.

Confiabilidade na transmissão

Uma abordagem convencional que permite confiabilidade é realizar a criptografia do canal de transmissão, seja ela simétrica ou assimétrica ou mesmo uma combinação das duas criptografias. 

Caso seja o uso da criptografia simétrica, precisar de uma chave para cifrar a informação, depois precisa-se encontrar alguma forma de trocar a chave, que acaba sendo um problema a ser resolvido, que é a troca de chaves de forma segura. Vale lembrar que esse método tem um bom desempenho.

Outro modo é utilizar de criptografia assimétrica, no qual pode-se utilizar a chave pública do destinatário para que a mensagem possa ser aberta apenas pelo destinatário que possui a chave correspondente, a chave privada. O problema desse tipo de uso é o desempenho.

Autenticação de Identidade

Já para autenticidade, no qual visa-se conhecer se o remetente da mensagem é ele mesmo, faz uso de PKI, (Public Key Infrastructure). Para isso basta cifrar a mensagem com a chave privada do remetente, assim como qualquer um pode ter a sua chave pública correspondente, ela pode ser verificado que a mensagem foi gerada pelo remetente adequado.

Por que a criptografia para proteção de dados é crucial para a conformidade com a LGPD?

Embora não haja requisitos de criptografia para proteção de dados explícitos na Lei Geral de Proteção de Dados (LGPD), a nova legislação exige que você aplique medidas de segurança e salvaguardas. A LGPD destaca a necessidade de uso de medidas técnicas e organizacionais adequadas de segurança de dados pessoais.

Como a criptografia para proteção de dados torna as informações ilegíveis e inutilizáveis ​​para pessoas sem uma chave criptográfica válida, as estratégias de criptografia para proteção de dados podem ser extremamente benéficas para sua empresa no caso de uma violação de dados e nos requisitos previstos pela LGPD. 

Lembra da exigência feita pela LGPD de notificar os clientes afetados por um incidente de segurança? Ao criptografar seus dados, você reduz a chance de cumprir essa obrigação devido a problemas de ataques virtuais ou outros tipos de problemas. Nenhuma informação será tecnicamente “violada” se os dados forem ininteligíveis para o invasor.

Como escolher a forma mais adequada para garantir a segurança de dados?

A plataforma CipherTrust Data Security da Thales garante toda a estrutura e a integridade dos dados de sua empresa, e o formato dos campos no banco de dados, seja ele qual for: Oracle, SQL, MySQL, DB2, PostGrid, enfim.

De forma simples, abrangente e efetiva, a solução Cipher Trust oferece recursos para proteger e controlar o acesso a bancos de dados, arquivos e containers — e pode proteger ativos localizados em nuvem, virtuais, big data e ambientes físicos.

Com a CipherTrust, é possível proteger os dados de sua empresa e tornar anônimos seus ativos sensíveis, garantindo segurança para sua empresa e evitando problemas futuros com vazamento de dados.

Sobre a E-VAL Tecnologia

A E-VAL tem com soluções de criptografia de aplicações, tokenização de dados, anonimização, proteção em cloud, database encryption, big data encryption, proteção de arquivos estruturados e não estruturados em file server e cloud e key management para atender diferentes demandas na área de segurança de dados. São soluções para que os negócios estejam em conformidade e protegidos contra vazamento de dados.

A E-VAL Tecnologia atua há mais de 15 anos oferecendo soluções de segurança da informação para o mercado, pioneira em iniciativas no uso da certificação digital no Brasil, tais como, SPB, COMPE, Autenticação, Assinatura digital de contratos, Gerenciamento de Chaves e Proteção de dados e armazenamento de chaves criptográficas para os segmentos de instituições financeiras, educação e indústria.

Siga-nos nas redes sociais:
error

Gostou do blog? Compartilhe já :D